Escriba de Broalhos cronicando cenas no belogue sobre cultura audiovisual e artística

Televisão

“Lonely Planet Roads Less Travelled”

http://natgeotv.com.au/programmes/lonely-planet-roads-less-travelled/biographies

Percursos Secretos” é uma série de programas apresentada por Dominic Bonuccelli, usando os percursos escondidos, indo aos lugares menos falados e passando pelos eventos e conhecendo as pessoas que compõem a tonalidade cromática de cada canto do planeta.

É um programa produzido pela National Geographic Channel, e prima por promover uma imagem antropológica profunda de onde cada episódio é rodado.

Anúncios

“Truques de Cinema”

"Science of the Movies"

No canal “Discovery”, este programa explora a indústria cinematográfica e as suas tecnologias, truques e empresas. São revistos os efeitos especiais de filmes populares, como “300” ou “Avatar”.

Técnicas de produção e pós-produção dos maiores trabalhos dos últimos tempos analisados numa abordagem acessível e humorística.


“Ayakashi”

Este é um “anime” que representa três contos clássicos de terror, ficcionados da tradição japonesa de mitos e crenças. São doze episódios, divididos em três contos:

Yotsuya Kaidan

Revolve-se em torno de uma peça de teatro kabuki, tradicional do Japão, que está amaldiçoada pelos espíritos em cuja vida foi inspirada. Esta foi escrita pelo dramaturgo Tsuruya Nanboku, e é ele quem narra o conto. É uma história trágica de desespero, amor, traição e engano, num género emocionalmente drástico em que todas as personagens se conduzem à sua própria destruição.

Tenshu Monogatari

Também este conto é inspirado numa peça teatral, esta de Kyoka Izumi. Neste conto retrata-se o amor impossível de uma deidade e um falcoeiro.

Bake Neko

Bake Neko

Este é um original de Kenji Nakamura e Michiko Yokote. No período Edo, o último do Japão feudal, um caixeiro viajante dá com a casa de uma família senhorial cuja filha está para se casar, num matrimónio arranjado para saldar dívidas e resgatar honra. Contudo, a misteriosa súbita morte da rapariga parece estar relacionada com deturpações espirituais na mansão da família, e o caixeiro, que é mais do que aparenta, vai descobrir a verdade latente, para conseguir então desembainhar Taima, a espada com que acorda uma sua persona que combate o espírito que amaldiçoa a casa.

Esta série tem um estilo próprio para cada capítulo que a compõe. Os dois primeiros sugerem uma linguagem mais purista, mais sóbria, mas já o terceiro envolve-se numa estética “dada” quase, ainda que profundamente ligada ao desenho arcaico japonês. É interessante, tanto quanto não seja por não ser normal nas restantes produções. É original, é inspirador, e fiel à premissa que é a cultura feudal japonesa, introduzindo elementos curiosos, desde doutrinas budistas a modos sociais.


“Rome”

"Rome"

Esta é uma série televisiva de duas temporadas. Retrata o começo de Roma como império e a vida de personagens chave históricas e ficcionais. Começa logo após a conquista da Gália por romanos sob a liderança de Caio Júlio César, que, regressando triunfante a Roma, vai tentar forjar um império para si. Nisto, Lucius Vorenus e Titus Pullo, companheiros de armas, vão secretamente influenciar o curso da história no decurso das suas vidas.

A série reúne bons e conhecidos actores, em ambientes rigorosos historicamente, numa atractiva presentação visual.

Existem deturpações ligeiras, como reinterpretações do papel de personagens históricas, ou a alteração da ordem cronológica de certos eventos para convir ao argumento.

Ainda assim é agradável, e foi bem conseguida a série. Foi extremamente cara de produzir, mesmo para os padrões das grandes empresas, e essa é a justificação para apenas duas temporadas para a que era uma série de bastante sucesso.