Escriba de Broalhos cronicando cenas no belogue sobre cultura audiovisual e artística

Diário VI

Serra da Estrela, Poço do Inferno, 22 de Julho de 1951

MERGULHO

Tirem o Céu da sua altura triste;

Olhem a cor do inferno aqui no chão:

Verde esmeralda que, se não existe,

É um milagre de luz em cada mão.

Anjos de barro, o nosso espelho apenas

Deve ser o cristal que viu Narciso:

Água dum poço de ilusões pequenas

Onde morra e renasça o Paraíso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s