Escriba de Broalhos cronicando cenas no belogue sobre cultura audiovisual e artística

Diário VI

Córdova, 17 de Abril de 1951

NA MESQUITA DE CÓRDOVA

Recolheu ao seu berço, preseguido

Por um outro colega intolerante,

Alá, deus das Arábias ressequidas.

Cansado das securas do deserto,

Veio ver como era a Andaluzia;

E gsotou deste chão de riso aberto

Onde o seu coração reverdecia.

Mas, corrido a orações e virotões,

Num minguante de moiras ilusões,

Lá se foi novamente às suas dunas

Caiar de branco a fé das açoteias.

E o seu palmardivino arquitectado,

Que aqui plantou, ondula mutilado,

Com saudade do dono e das areias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s